INTERPRETAÇÃO PARA ATORES: A MUSICALIDADE DO CORPO EM CENA

Ministrante:

Duda Maia

O que é:

A oficina tem como fundamento o autoconhecimento da estrutura óssea, para, a partir disso, se colocar em cena como um jogador inteligente e disponível.
Cada ator irá investigar sua estrutura óssea e a partir deste conhecimento atingir um funcionamento muscular mais eficiente. Trata-se de entender como a soltura articular colabora para a realização de um movimento harmônico e sem sobrecarga de trabalho.
A partir desta conscientização, com mais propriedade de sua estrutura física, o ator será capaz de desenvolver um trabalho de improvisação que amplie seu vocabulário corporal e sua capacidade de estar com o outro.
A oficina irá abordar a relação com a musicalidade. Trata-se de pesquisar gestos e ações, utilizando como estímulo, diferentes qualidades de tempo. A partir desse trabalho, a escuta é desenvolvida, para, com isso, elaborar partituras físicas com base em uma estrutura sonora.
Desta maneira, é possível praticar o jogo teatral com mais eficiência e, ao mesmo tempo, de forma lúdica, com mais liberdade. Trata-se de utilizar o conhecimento físico para potencializar o canal criativo, e desenvolver a presença cênica.
Este foi o método utilizado, pela ministrante da oficina para a montagem dos espetáculos AUÊ e A GAIOLA. Onde a música se estabelece a partir de um estado muscular e o corpo é o responsável por tudo que acontece em cena. Assim, o teatro, com ou sem palavra, aparece como conseqüência, sem história ou personagem, mas dando importância a relação com os elementos presentes na encenação.

Público-alvo:

Atores e estudantes de artes cênicas.

Currículo dos ministrante:

Duda Maia é formada pela Escola de Dança Angel Vianna ,onde lecionou dança contemporânea durante 13 anos. Foi professora de corpo do Curso Profissionalizante de Atores da CAL – Casa das Artes de Laranjeiras de 1998 até 2008.
De 1996 até 2006 foi diretora e coreógrafa da Trupe do Passo, Cia. De Dança contemporânea que tinha sua pesquisa baseada na cultura popular do NE. Este grupo foi subsidiado pela Prefeitura do Rio de Janeiro e criou diversas parcerias com grupos de dança popular e brincantes de Pernambuco.
Trabalhou como diretora de movimento com os diretores: André Paes Leme, João Falcão, Daniel Herz, Karen Acioly, Mauro Mendonça Filho, Aderbal Freire-Filho, Dudu Sandroni, Bruno Garcia, Michel Bercovitch, Fábio Ferreira, Guel Arraes ( nos filmes, Lisbela e o Prisioneiro e Romance ), Miguel Vellinho ( Cia. Pequod ), Marcelo Morato (Contos e Cantigas Populares – onde ganhou o Mambembe de melhor espetáculo juntamente com Marcelo Morato e Agnes Moço), João das Neves, Paulo José, Vera Fajardo, Paulo de Moraes e Ivan Sugahara.
Em 2012 assinou a direção do espetáculo infantil Uma Peça Como Eu Gosto, da Cia. Histórias Pra Boi Dormir juntamente com Lucio Mauro Filho, com este espetáculo ganhou o prêmio de melhor direção – Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro Infantil 2012.
Dirigiu o espetáculo “Clementina, Cadê Você?”, musical inspirado na vida de Clementina de Jesus, que estreou em outubro de 2013.
No inicio de 2014, dirigiu o espetáculo A Dona da História, texto de João Falcão, com Livia Falcão e Olga Ferrario, integrantes da Duas Companhias, grupo profissional com sede na cidade de Recife que este ano completou 10 anos em 2014, este projeto foi contemplado pelo Funcultura.
Em 2014, fez a Direção de Movimento de “Fala Comigo Como a Chuva e Me Deixa Ouvir”, espetáculo de Ivan Sugahara, trabaho que rebebeu a indicação de Melhor Direção de Movimento na categoria especial do Prêmio Cesgranrio 2014.
Fez a direção de movimento do espetáculo “Beija-me Como Nos Livros”, último trabalho da Cia. Os Dezequilibrados com direção de Ivan Sugahara.
É diretora do show “Farra dos Brinquedos” uma banda que trabalha com músicas originais e ritmos brasileiros, destinada ao público infantil.
É diretora do espetáculo AUÊ, do grupo teatral “Barca dos Corações Partidos” com direção de produção da Sarau Agência de Cultura, sucesso de público e crítica. Duda Maia ganhou o Prêmio CESGRANRIO 2016 de Melhor Direção pelo espetáculo Auê. Esse espetáculo também foi contemplado o prêmio Cesgranrio de Melhor Direção Musical e o prêmio Cesgranrio de Melhor espetáculo.
Ganhou o Prêmio Shell de melhor direção, por Auê. Também por Auê, foi indicada, por melhor direção no Prêmio APCA.
O espetáculo Auê ganhou o prêmio Botequim Cultural desse ano em cinco categorias, incluindo melhor direção e melhor espetáculo. Auê também ganhou o prêmio APTR, nas categorias, Direção Musical, Melhor Espetáculo e Produção.
Atualmente está em cartaz com o espetáculo musical infanto-juvenil, “ A Gaiola” adaptado do livro de Adriana Falcão. Este espetáculo foi vencedor em 07 categorias no Prêmio CBTIJ 2016, incluindo Melhor espetáculo e Melhor Direção. A Gaiola também foi vencedora do Prêmio Botequim Cultural em cinco categorias: Melhor Direção, Melhor Espetáculo, Melhor Texto Adaptado, Melhor Atriz e Melhor Ator.
É diretora do infanto-juvenil, Guerra Dentro da Gente, de Paulo Leminski, com a Cia Histórias Pra Boi Dormir, que estreou em outubro de 2016 no Oi Futuro. Esse espetáculo foi indicado ao Prêmio CBTIJ de Teatro Infantil em 06 categorias, incluindo melhor trabalho de formas animadas. Venceu o Prêmio CBTIJ de Melhor Videografismo.
Atualmente Duda Maia trabalha no roteiro de seu próximo infanto-juvenil “Conto Amoroso e Ciumento”, uma livre adaptação de algumas situações de contos de Machado de Assis que tratam do tema ciúme, o texto será escrito por Eduardo Rios.

Detalhes do Curso

  • Pré-requisitos:
    Experiência prévia em teatro
  • Período:
    29 e 30 de julho
  • Frequência:
    sábado e domingo
  • Horário:
    13h às 17h
  • Preço com desconto:
    342,00

380,00 à vista

ou 2x 240,00 = 480,00
Inscreva-se